domingo, 5 de outubro de 2008

Möchten Sie etwas trinken?

Na última sexta-feira me chamaram para ajudar numa festa de cinquenta anos do pai de uma conhecida. Sempre fui uma moça trabalhadeira... hahaha Quem vê, até pensa né!
Entao, fui lá, pra ajudar a servir as bebidas, supervisionar para que nao faltasse cerveja para ninguém, foi uma correria! Tinha bastante gente! Comecei a trabalhar as onze da manha, e terminei sentada numa bateria as onze da noite!
O meu lucro: Quarenta euros e elogios.
Com certeza, a melhor parte da festa, foi quando tinha um bêbado fazendo barulho na bateria que tinha lá, larguei a bandeja, pedi as baquetas.
Comecei a tocar, ficaram meio pasmos, ninguém imaginava que eu pudesse dominar o instrumento.
Eu via flashes, câmeras, copos, aplausos e sorrisos desequilibrados.

Falando sobra a convivência famíliar, está bem difícil!
Tive alguns conflitos com a minha mãe daqui, os nossos carácteres nunca vão se bater.
Estava pensando, se eu deveria botar isso no blog... Mas, não posso mostrar só as coisas boas, temos que mostrar a realidade! E viver com uma família diferente é uma barra.
Pra dar um exemplo, ela gritou muito comigo porque eu saí de casa pra ir pra escola sem dar tchau, pois nao achei ela em casa e pensei que ela nao estivesse. Ela me fez o maior escândalo, me disse que aqui nao era hotel, e coisas horríveis, ainda que ela gritava em alemao muito rápido, eu disse pra ela que só entendia algumas palavras e ela ficou mais brava ainda, vai entender, gente explosiva é assim mesmo. Saí chorando, nao sou nem um pouco forte para conflitos. E além disso, eu estou morando aqui. Não se pode pensar em responder, se não a coisa piora.
Sobre a minha "irmã", ela é gente boa, mas as vezes é muito grossa. Estou tentando pensar que para eles, esse trato é normal.
No outro dia, ela ficou brava porque eu avisei que tinha uma coisinha preta no dente dela, ela me respondeu: " É o meu dente, e nao é o seu, odeio quando as pessoas olham pra minha boca." Fiquei sem palavras de como a garotinha me respondeu.
As vezes nao tem como não ficar magoada, pois na minha casa, no Brasil, minha mae me ensinou que o amor é a base de tudo, e agradeço a ela por essa pessoa que ela me ajudou a ser, nada melhor que tratar as pessoas com carinho. Tudo o que se faz de bom se recebe também.

2 comentários:

Anônimo disse...

oi, menina!
vi teu blog na comunidade do rotary. faz mais de 10 anos que fiz intercâmbio, para os eua. foi legal lembrar das dores e das delícias de ser uma intercambista lendo aqui teus relatos.
mesmo tendo viajado pra outro país e há tanto tempo, os sentimentos são os mesmos. há coisas maravilhosas e outras muito difíceis, como a convivência familiar.
mas há uma diferença fundamental: a internet! o meu intercâmbio foi de cartas e mais cartas para as minhas amigas e meus pais. acho q de tanto escrever na época que hoje sou jornalista! aproveite muito este blog (como eu queria ter tido um) pra desabafar e mandar tuas fotos (na minha época elas tinham que ser reveladas, rs).
vou tentar acompanhar tua viagem por aqui!
beijinho, camila olivo

Fernanda disse...

Puts....deu até um friozinho na barriga, um medinho de passar por isso tbm no meu intercambio !! Não sei se saberia lidar com uma situação dessa, acho que me magoaria muito !!

Espero que fatos como esse não se repitam mais ai na sua casa !!

Boa Sorte !!
Beijosss